Páginas

domingo, 29 de março de 2009

A ARCA DE NOÉ



L. M. Honesto, era prefeito de uma grande cidade de um país do maior continente do planeta Terra. Carinhosamente, era chamado por todos apenas de Honesto. Ele era um exemplo para todos. Um ser humano que só se podia conceituar atualmente como um homem justo. Particularmente, era um apaixonado pela organização de forças de combate e pelo uso de armas avançadas, tais como canhões laser, pistolas desintegradoras, mísseis inteligentes, impossíveis de serem interceptados por causa de seus campos de força especiais e que eram guiados pelo calor humano, e também a última novidade bélica - A bomba quimica, que uma vez lançada, ao atingir o alvo, liberava vírus mortais capazes de aniquilar nações inteiras sem deixar absolutamente nenhum vestígio! Ele era um líder nato para os padrões de sua época. Um dia, ele caminhava pelo calçadão da praia, quando de repente, de seu fone de ouvido conectado ao seu celular via Bluetooth, um vozeirão se fez ouvir:

- HONESTO!

Ele imediatamente estremeceu.

Só podia ser o Criador!

Quem mais teria aquela voz?

-HONESTO, a voz trovejou:

-NÃO ESTOU CONTENTE COM OS HOMENS. ELES ESTÃO INSENSIVEIS E POLITIZADOS DEMAIS. GUERREIAM ENTRE SI E SÓ DEFENDEM OS INTERESSES PRÓPRIOS. DA MINHA INTENÇÃO QUANDO CRIEI ADÃO E EVA, NÃO SOBROU NADA E ACABOU DANDO NISTO...

-ANTES EU FIZ CHOVER DURANTE 40 DIAS E 40 NOITES, ATÉ COBRIR A TERRA DE ÁGUA, O QUE ACABOU POR SER CONHECIDO COMO 'O DILÚVIO', MAS DESTA VEZ SERÁ DIFERENTE.

-VOU MANDAR UM METEÓRO DE GIGANTESCAS PROPORÇÕES SE CHOCAR COM A TERRA E TUDO ACABARÁ EM FOGO, EM QUESTÃO DE SEGUNDOS. QUERO QUE NASÇA UMA NOVA HUMANIDADE, DE HOMENS MAIS SENSIVEIS E INTELIGENTES, PRÁTICOS E OBJETIVOS.

-VÁ! CONSTRUA UMA NAVE ESPACIAL, PARA TI E PARA A TUA FAMÍLIA E LEVA PARA DENTRO DELA UM CASAL DE CADA SER VIVO DESTE PLANETA.

-TERÁS CENTO E VINTE DIAS PARA ESTE EMPREENDIMENTO. O MEU CONTATO CONTIGO, SERÁ SEMPRE VIA E-MAIL ATRAVÉS DO ARCANJO GABRIEL.

O fone de ouvido emudeceu...

Honesto imediatamente começou a pensar. O Criador o elegera gerador da nova Humanidade! Que grande oportunidade lhe caiu do céu! Todas as suas idéias daquele momento em diante, seriam direcionadas a programar o futuro da humanidade! Mas, Honesto não conhecia nada de naves espaciais, muito menos de navegação interestelar! Quatro meses... era muito pouco! Ele tinha que resolver um problema técnico, como construir uma nave enorme. Que incumbência!

Honesto vasculhou o banco de dados de sua memória. Conhecia um engenheiro espacial que se chamava Noé. Ele poderia sem dúvida construir para ele a nave que levaria a humanidade a outros mundos em busca de um novo lar. Honesto seria o coordenador do empreendimento (que demais!) e Noé seria o elemento técnico desta proesa. Tão rápido como pensou, tão rápido ele fez. Foi falar pessoalmente com Noé.

- Meu caro amigo de tantos anos - falava Honesto com propriedade - quero encomendar-lhe uma nave espacial, mas não uma nave qualquer, a maior já construida!

- Sim, senhor, mas de que tipo, para que tipo de carga e para qual destino?

- Ora, ora Noé, isto são só meros detalhes. É uma nave para grande carga e para o espaço aberto. Para uma viagem interestelar! Quero fazer uma longa viagem com a família em busca de outros mundos e levarei tudo que possuo.

- Está bem, senhor. Temos aqui mesmo, na siderurgica onde trabalho, Titânio de ótima qualidade e densidade, em quantidade suficiente. Acho que consigo arranjar dez bons metalurgicos, dez bons maçariqueiros, dez técnicos em engeraria espacial e assim conseguirei construir sua nave.

Mais tarde, Honesto chamou G. H. Larápio, seu funcionário padrão.

- Larápio, como você já deve saber, vamos construir uma enorme nave espacial...

- Sim, chefe, ouvi mesmo o Sr. dizer algo a respeito.

- E o que você me diz de tomar a frente e coordenar a obra?

- Beleza! Pode deixar comigo, patrão. No recrutamento da última batalha que lutamos contra o “aquele” país, pagamos 7 mil reais a experts em armas biológicas e estes, são apenas metalurgicos e trabalhadores braçais. Nosso departamento de R.H. tem cinco recrutadores e quinze examinadores, para esta primeira fase de seleção!

- E quanto você acha que devem ganhar?

- O salário desta equipe vai variar entre dez e doze mil reais, por serem especialistas. Chefe, só há um pequeno problema que precisamos resolver. Não vou assumir as responsabilidades com o numerário, além do mais, não sou mesmo bom em contabilidade. Não acha melhor termos uma pessoa qualificada para a gerência financeira de seu empreendimento?

- Bem lembrado meu acaro Larápio! Mas há outro problema. Não conheço nenhum que se enquadre no cargo e deve ser um homem de confiança!

- Ok chefe! Mas sempre podemos fazer uma seleção entre vários candidatos. - Fique tranquilo e deixe tambem isto comigo! Vou já providenciar os primeiros passos.

A cada dia, o empreendimento crescia mais e mais. O R.H. e suas equipes de recrutamento e seleção já estavam trabalhando de vento em popa. Depois de muitos canditados, todos reprovados, alguem foi nomeado para o cargo por indicação de Larápio e as finanças finalmente já tinham um responsável. Mas onde colocar todo o pessoal que estavam contratando? Honesto, com o seu habitual dinamismo, adquiriu por indicação de Larápio através de um financiamento, um imenso galpão onde antes havia sido uma fábrica de aviões que estava desativada, contratando de imediato, para maior controle, pessoal de supervisão e segurança. Claro, por indicação de Larápio.

Uns tempos depois, na sala da presidencia o interfone tocou.

-Senhor Presidente - falou a graciosa e sexy secretária e recepcionista. - Está aqui o Sr. Noé, o engenheiro espacial. Ele trouxe alguns desenhos para lhe mostrar e...

- Menina! Já não lhe disse para não me interromper? Diga ao Engenheiro Noé que marque um horário e volte outro dia.

O interfone tocou novamente e a secretária disse que o Sr. Larápio estava ao telefone. Honesto atendeu imediatamente.

-Pois então, meu caro amigo Larápio, meu amigo e parceiro nesta jornada, preciso cercar-me de gente de absoluta confiança para o sucesso de nosso empreendimento.

- Claro meu querido chefe! Sabe que pode confiar em mim em qualquer situação, mas o armazenamento das chapas de Titânio que vão ficando prontas necessita de um almoxarifado adequado e de um bom almoxarife para controlar as entradas e saidas de material. Para maior controle, preciso de um computador, uma impressora nova, além de alguns arquivos, prateleiras de grande porte e pessoal de apoio.

- Perfeito meu caro Larápio! Encomende tudo que precisar e supervisione você mesmo todo o processo de recrutamento e seleção de pessoal.

Naquele momento, entrou Shirley, a secretária do Presidente. Larápio aproveitou a chance e afastou-se de fininho.

- Senhor Presidente, o Engenheiro Noé passou vários e-mails e tem ligado constantemente tentando marcar um horário, mas de acordo com suas ordens, disse a ele que sua agenda esta lotada nas próximas semanas. Tenho a nítida impressão de que ele estava aflito para a aprovação de alguns desenhos.

- Ora, este Noé! Que cara insistente e inconveniente! Ele anda precisando de uma boa dose de Simancol! Esta constantemente querendo me confundir com detalhes sobre densidade e espessura das chapas de Titânio e outras bobagens que acha relevantes sobre a carcaça da espaçonave. Ele deveria saber que sozinho não posso e nem quero me responsabilizar pela aprovação desses desenhos. Faça o seguinte: Envie um e-mail a ele e diga que nomearei um Grupo de Trabalho da Nave, o GT-NAV, para me dar o parecer. O cara sem dúvida nenhuma é bom em projetos, mas não entende nada sobre custos ou de administração financeira!

Quinze dias se foram e o organograma proposto já estava na mesa do Presidente. Na mesa de Honesto, havia relatórios de todos os departamentos criados por ele com a ajuda de Larápio, sendo que os mais ativos no processos, eram o da Diretoria das Coisas (DC), o dos Investimentos (DI) e o do Grupo de Trabalho da nave (GT-NAV).

A Diretoria das coisas, já tinha montado um laboratório especializado para a medida de densidade das placas de Titânio e analise de comportamento fora da atmosfera. A Administração, em apenas vinte dias, já tinha preparado as provas de seleção para arquivistas de desenho espacial, para a seleção do pessoal de apoio ao recrutamento, entre outros cargos criados por Larápio no processo de organização geral do empreendimento de Honesto.

Certa tarde, Honesto estava exausto, mas não pôde esquivar-se de receber Noé que o procurou em sua residência.

- Senhor Presidente, perdoe o atrevimento de vir até a sua casa atrapalhando o seu merecido descanso, mas o projeto já está pronto e maioria das pessoas mais necessárias à sua execução ainda não foram nomeadas. O material já está especificado, porém o laboratório ainda não emitiu o laudo de aprovação do Titânio a ser usado e não consegui os metalurgicos especializados para o corte e montagem das placas... Se o senhor pudesse autorizar-me a trazer os profissionais que conheço para não perdermos mais tempo...

- Cara! Isto não é uma sangria desatada! (Falou Honesto) Não se preocupe, Noé. Falarei amanhã com o pessoal do R.H. e apressarei a contratação do pessoal. Noé, nem mesmo sendo o Presidente desta empresa, não posso mudar as normas da organização autorizando diretamente acontratação do pessoal! Normas são normas meu amigo! Sossegue! O empreendimento está nas mãos dos melhores profissionais e sob a supervisão do meu fiel Larápio! Boa noite, Noé, o mordomo o ampanhará até a porta de saida...

Noé afastou-se confuso. Ele não estava entendendo nada. Tinha sido convidado para construir uma nave espacial e agora estava se vendo às voltas com normas, instruções, exames de seleção e uma imensa quantidade de questões burocráticas etc...

Trigésimo dia - A manhã estava radiante. Shirley anunciou a chegada de Larápio.

- Entre meu velho e fiel amigo! Sente-se. Aceita um licor especial ou prefere aguá mineral?

- Sim, chefe, aceito a agua mineral obrigado! Por falar nisso, mandei distribuir agua pura a todos esta tarde, mas para isso, foi necessário adquirir treis caminhões carregados de garrafas de pvc de uma fonte nova para sair mais barato, alem de alugar um espaço para estocar a agua e contratar cinco pessoas para trabalhar na organização da distribuição aos funcionários.

- Você é máximo na administração de pessoal Larápio! Esta definitivamente merecendo uma promoção! Graças a você, já temos quinhentas pessoas no efetivo e todas passaram por suas mãos! Que capacidade você tem!

- Meu caro Larápio, não quero incomodá-lo e nem em pensamentos desfazer o belíssimo trabalho da sua equipe, mas o Noé disse que ainda não foram contratados os maçariqueiros para o corte e moldagem das placas de Titãneo...

- Chefe, o engenheiro Noé é um sonhador. Só pensa nos seus projetos e desenhos. Já lhe expliquei inumeras vezes a complexidade e a seriedade do processo de contratação. Apenas como exemplo, já aumentamos a oferta para nove mil reais, mas todos os metalurgicos especializados em corte e moldagem de placas de metal foram reprovados no primeiro psicotécnico. Se não passam nem mesmo neste exame, imagine nos demais!

- Esta certo! Você tem toda a razão, Larápio. Noé nem de longe imagina o que seja efetivamemte é uma boa organização. Oriente e faça as coisas como achar melhor. Se contratei seus serviços e lhe atribui tamanha responsabilidade, é porque tenho total confiança em você e em seu trabalho...

Quadragésimo quinto dia - Finalmente iria ser realizada a primeira reunião de Direção. Era o momento crucial de onde sairiam as grandes decisões de cúpula do empreendimento. O Presidente, empolgado e satisfeito, relatava que o empreendimento era o orgulho da nação. Havia enfim, depois de tanta crise, muito trabalho e emprego para todos. O Diretor da Nave ponderou que faltava papel para o desenho e que a eficiência dos metalurgicos admitidos era baixa. Noé tentava suprir a falta desenhando em pedaços de papelão e pessoalmente cortava chapas de Titânio à noite, após o expediente. Quando o Diretor da Nave propôs aumentar o salário de Noé para quinze mil reais o Diretor das Coisas explodiu e foi seguido de perto pelo Diretor dos Investimentos que quase teve um enfarte.

- Isto é um absurdo! Estes técnicos não funcionam e ainda querem aumento! Sr. Presidente, um minuto de sua atenção! Sou de opinião que devemos aumentar a equipe de recrutamento e apertar as provas de seleção.

- Desculpe interromper! - retrucou o Diretor da Nave - Acontece que não temos o apoio que precisamos. O senhor está simplesmente desviando recursos para a área de operação da espaçonave, recrutando pilotos, navegadores, etc.

- Mas é claro! - interveio o Presidente - Temos que agir com antecedência no treinamento.

No Octagésimo dia - Honesto passeava pela praia, cercado de seguranças pessoais. Ele estava orgulhoso. Era Presidente de um empreendimento que já contava com duas mil e duzentas pessoas. As preocupações de Noé eram absurdas e infundadas. Não passava de um tecnocrata aloprado e pessimista. Felizmente já haviam contratado o Diretor da Nave para despachar com Noé - Um aborrecimento a menos para ele. Subitamente, o alerta de mensagens SMS de seu celular soou!

- Era um torpedo do Arcanjo Gabriel! - Ansioso, Honesto se pôs a ler a mensagem:

"HONESTO! PONHA PESSOAS DE PESO NO TOPO, CASO CONTRÁRIO, O EMPREENDIMENTO IRÁ À FELÊNCIA!"

Honesto que iria passar a tarde fazendo caminhada, mudou de opinião. Atravessou a rua e dirigiu-se para o apartamento de Noé.

- Noé, Noé, mude seu projeto! Ponha uma outra cabine atrás da cabine de comando que já fica na ponta da nave. Vou colocar nela as pessoas mais pesadas!

- Mas, Presidente, isso é inviável! Eu digo mais ainda! É impossível!

A àrea do bico na espaçonave deve ser sempre a mais leve. Se aumentarmos a massa do topo, o nave vai emborcar!

- Não discuta comigo, Noé. O Arcanjo mandou colocar homens pesados no topo e é isso que vou fazer... e não discuta! Cumpra as minhas ordens!

Noé não retrucou. O Presidente estava irritado e nervoso. Noé correu à Secretaria Geral, mas lá encontrou o Comandante de Operações da Nave, que já o esperava há quase treis horas.

- Noé - disse o Comandante - o seu projeto não sai do lugar! Vou treinar os meus homens sem nave? Vou ser obrigado a pedir a aprovação do Presidente para adquirir um simulador, caso contrário não me responsabilizo pelo que vai acontecer.

Noé balançou a cabeça e saiu. Realmente o que ele conseguira até aquele momento? Uma dúzia de desenhos em folhas de papelão por falta de papel para seus projetos? Isto em oitenta dias. Que mais ele poderia esperar? Estava acabrunhado. Do jeito que as coisas andavam, ele estava começando a se sentir um incompetente. Mas o que estaria errado?

O Presidente entrou em sua sala furioso desabafando com Shirley.

- Veja só! Faltam apenas quarenta dias e a Divisão de Importação, diz que há crise de transporte e as peças necessárias para a montagem e que são fabricadas no exterior só chegarão no prazo médio de dez dias! Quase berrando ele ordenou: Quero uma reunião de emergência com os diretores. Vou despedir os matelurgicos admitidos e contratar outros. Se não fosse o Larápio com a equipe de recrutamento, não sei o que teria sido.

- Mas, Presidente, perguntou Shirley. Faltam quarenta dias para quê?

- Para o fim do mundo minha filha, para o fim do mundo! Cale esta boca e envie o seguinte e-mail:


De: Honesto

Para: O Criador

Solicito prorrogação prazo restante 40 dias. Dificuldades dificeis de serem superadas de imediato. Crise internacional de peças e componente eletrônicos. A sua benção, Honesto.

O ruído monótono de Shirley digitando o e-mail deixava Honesto ansioso, mas a resposta veio finalmente:


De: O Criador

Para: Honesto

CONCEDIDO PRAZO MAIS CINCO DIAS IMPRORROGÁVEIS. METEÓRO A CAMINHO.


Honesto desesperou-se e correu para a reunião. Shirley, pelo telefone interno, espalhou a história do cometa chegando. O Pânico foi geral.

Octagésimo segundo dia.

- Shirley! Ligue para o Larápio imediatamente.

-Larápio? Aqui é o Presidente.

-Já recrutou e contratou os metalurgicos e novos técnicos?

- Infelizmente não passam nos testes, meu chefe. Até já afrouxamos as provas, mas o exame de reconhecimento de tipos degeneração dos metais no espaço sideral reprova todos!

- Presidente - interrompeu Shirley que parecia nervosa. É urgente: há dois fornecedores de agua na ante-sala e dizem que há uma crise nas fontes de àgua mineral e não vai haver distribuição aos funcionários durante uma semana. O suprimento não providenciou estoque de àgua durante a seca das semanas anteriores...

Qual é a sua decisão?

Centésimo dia.

- Sr. Presidente - disse o Diretor dos Investimentos - dentro de uma semana vencem os nossos empréstimos internacionais, com as nações vizinhas, e o caixa não é suficiente. O nosso empreendimento economicamente vai muito bem, mas financeiramente... estamos em crise. Sugiro uma redução de pessoal...

- Sr. Presidente - tentou timidamente o Diretor da Nave - Acho que o Diretor dos Investimentos tem razão, mas não prometemos ao CRIADOR que a nave estaria pronta em breve?

- Mas... sem material?

- Como posso fabricar as peças que faltam? - gritou o Diretor das Coisas - o seu laboratório não acha a liga ideal de Titânio no estado e há crise de transporte! Os torneiros mecânicos são incompetentes... e esse tal Noé! Que fez ele até agora? E ganha dez mil reais...

- Senhores! - falou gravemente o Presidente. Todos o olharam esperançosos. - A situação do empreendimento é razoável, mas temos que tomar uma atitude mais séria quanto ao projeto da nave...

- Presidente, não quero interromper, mas nos nossos arquivos não constam os exames de admissão de Noé e nem sabemos se ele é engenheiro espacial!...

- Sim, a culpa é minha - falou o Presidente - mas quando convidei Noé ainda não existiam as normas do empreendimento. Sou, portanto, obrigado a despedi-lo. Queira providenciar isto através do Larápio.

Noé ficou realmente furioso com a notificação. Ele estava disposto a sair daquela terra e o caminho mais fácil era atravessar o parque da cidade a pé. Partiu para a sua casa e reuniu a família e os parentes.

- Vamos nos juntar, executar o projeto da Nave por nós mesmos e sair logo daqui!

- Mas, Noé, não somos metalurgicos, nem sabemos fazer naves espaciais...

- Não importa. Eu ensino vocês a cortar e emoldurar as chapas, pregando-se umas nas outras... Quanto às outras peças e componentes eletrônicos, usaremos o que tivermos à mão, e já que tenho os desenhos. Faremos uma corrente e construiremos uma nave para tentar uma vida melhor, bem longe daqui! Por medidas de segurança, levaremos alguns animais a bordo para comer na viagem. Nunca se sabe que tipo de dificuldades poderemos encontrar por lá.

Mãos à obra!

Em poucos dias a fuselagem da espaçonave já tomava forma. No centésimo vigésimo quinto dia - O Presidente acordou assustado e preocupado. As peças importadas haviam chegado, mas só havia três funcionários no setor de montagem. Seu chofer seguiu o caminho mais rápido para o escritório, para evitar transito engarrafado e o mau tempo. A luz do sol já estava sendo ocultada pela silhueta do imenso meteóro. Nuvens pesadas cobriam os céus. Honesto dirigiu-se diretamente à recepção, mas Shirley só chegava às dez horas. Frustrado ele dirigiu-se ao Centro de Processamento de Dados e ao chegar lá ficou atônito com o que viu.

- O que se passa aqui? Não começou o expediente?

-Quem Diabos é você?

-Sou do "telemarketing", senhor.

-Respondeu a jovem que estava sentada numa das mesas. Já faz dias que não há ninguém. Dizem que, com esse plano de classificação de cargos e salários e com essa política de promoções, não para ninguém em sua empresa... Se for de seu desejo, eu vou estar localizando a sua secretária...

Por um breve momento, Honesto esqueceu todos os seus problemas e falou consigo mesmo: - Que diabos de lingua fala essa jovem? "Telemarketing... Vou estar localizando..."?

O que ela quer dizer com isso?

Mas logo voltou à realidade e disparou em direção ao seu escritório. No caminho encontrou Larápio que lhe disse preocupado haver ouvido burburinho sobre uma noticia de que o impacto do meteóro com a Terra era eminente. Que poderia ser apenas um boato, mas por via de dúvidas, ele e sua equipe...

Honesto não esperou ele terminar.

Ficou branco e correu em direção à recepção.

Shirley finalmente havia chegado.

- Shirley! Rápido! Passe um e-mail agora!


De: Honesto

Para: O Criador

Dificuldades com projetista atrasam empreendimento. Solicito prorrogação do prazo.

A resposta foi imediata:

De: O Criador

Para: Honesto


Ps: Favor acusar o recebimento desta!

PRORROGAÇÃO NEGADA.


Naquele mesmo instante, começou a cair na Terra uma chuva de pequenos meteóros que já causavam destruição em alguns pontos do planeta. Honesto saiu correndo arrastando Shirley pelo braço, seguido por Larápio. Tudo que se via era a escuridão amenizada apenas pelas luzes que se acenderam fora de horário. Os tres entraram na Pickup do Presidente e sairam em uma velocidade insana. Por todos os cantos caia uma chuva de fogo. Olhando-se para o céu, já era possivel de ser ver nitidamente os contornos do imenso corpo celeste que se aproximava mais e mais. Em pouco tempo já estavam numa rodovia quase não utilizada, e no caminho, quando passavam próximos da Usina onde Noé trabalhava, a chuva de fogo foi aumentando gradativamente e quando a Pickup ia ser atingida por um enorme bloco de massa incandescente, Larápio ainda teve tempo de gritar para o chefe, apontando para o outro lado da estrada:

Chefe, veja aquilo!

Há uma nave decolando nos fundos daquela Usina e você não vai acreditar no que esta escrito nela!

Mal ele acabou de falar e seu chefe de olhar para onde ele estava apontando e o veículo foi atingido.

Na fuselagem da nave, que agora ascendia os céus rumo à salvação da raça humana, enfrentando e vencendo bravamente a chuva de pequenos meteoros que se abatia sobre ela, carregando Noé, sua familia e vários casais de animais que eles haviam conseguido juntar nos zoológicos da cidade antes de partir, estava escrito em letras garrafais:

ARCA DE NOÉ!

Autor: José Araújo

12 comentários:

ISAULINA disse...

José Araujo é realmente muito interesante este conto porque traz para nós a lembrança de Noé
Naquele tempo Deus avisava as pessoas que tudo ia e acabar em agua
e o povo ria de nóe dizendo que Noé era louco e noé bem tranquilo fazendo a arca Que Deus a ordenava pois ele era obediente as ordens de Deus, e Deus disse a ele contrua a arca e pega cada par de todos os animais, a tua familia e a familia da tua familia e entra na arca que eu vou acabar com este mundo perveso, e assim sucedeu, se salvou só noé e sua famila e alguns dos animais! mais hoje não é diferente não Deus envia os mensageiros dele avisando que o fim esta proximo, ninguém sabe o fim mais Deus sabe e as pessoas não levam em conta continuam nas suas prosmicuidades sem da conta da gravidade achando que leva uma vida normal, sim para ele é normal mas para os olhos de Deus não é normal porque Deus se sentiu muito triste de ver a humanidade se guiando por si mesmo sem se dar conta de que é ele que da as ordens pois ele é o criador, respiramos porque ele é que da o folego da vida, então devemos seguir as suas ordens obedecendo!
Tem pessoas que logo pensa que vai vira crente ou fanatico, mais não se trata disso, obedecer é amar a Deus sobre todas as coisas, amar ao proximo como a si mesmo, ser onesto, não ter uma vida prosmicua
não enganar a ninguém porque quem engana os outros enganam é a si mesmo
Tem muitas e muitas pessoas que tem a mania de dizer: Há ninguém esta vendo o que eu estou aprontando não estou nem ai, mais só que estas pessoas se enganam porque aos olhos de Deus nada escapa, ele conta os fios dos nossos cabelos ele sonda o nosso rins e coração, ele sabe do nosso imtimo pois foi ele quem nos criou, então não devemos nos enganar, procurando sempre ser onesto e limpo perante aos olhos de Deus, isto alegra o coração dele e vamos ter uma vida cheia de alegria e com o nosso intimo feliz! mesmo passando por este mundo de tanto desamor e desigualdade e teremos uma vida feliz agora e também para todo o sempre! Porque Deus promete ´para nós uma vida eterna sem maldade, sem doença, sem velhice e assim viveremos para sempre numa terra justa!!
José Araujo eu parabenizo mais uma vez este conto que é maravilhoso
sempre trazendo alegria aos corações que aqui chegam obrigada meu amigo querido e amado que você continue esta pessoa com tamanha humildade e generoso que sempre foi beijo querido

Meure disse...

Querido Amigo

Fico orgulhosa em poder ler seus textos... é ler por prazer... Beijos e sucesso.

mdb disse...

Jose você é de++++++++ meu querido adorei seu conto e também os nomes dos personagens. Muito bom mesmo. Que mundo é esse que estamos vivendo? É isso aí. Cada um quer ser mais esperto que o outro e não estão nem aí, pois até uma ordem do criador queriam mudar pedindo prorrogação e anda debochavam do Noé que levou a sério seu projeto. Com inteligência fez seus desenhos até no papelão por economia, pois era o que sabia fazer naquele empreendimento.
Com certeza fez o certo viu que o presidente não era muito irresponsável mandando demiti-lo naquela altura dos acontecimentos.Resolveu juntar seus parentes e terminar o que já havia começado e com isso fez o que o criador determinou e foi embora antes que a Terra fosse destruída pelo meteóro. E ainda teve tempo de colocar o nome da nave: ARCA DE NOÉ.
Meu querido muito obrigada por retornar e com muito bom humor. Adorei seu conto. Beijo grande da amiga de sempre. Marilene

Alvaro Garcia disse...

Um retorno à altura de seu talento!
Fantática esta maneira que encontrou para recontar a história da Arca de Noé!
Eu já estava com saudades de receber seus e-mails informando de seus novos contos José!
Fico feliz por ter a chance de ler mais uma de suas obras primas!
A Arca de Noé é sem dúvida um de seus melhores contos e desta vez você foi um pouco além!
Esta mistura de cômico com reflexão ficou o máximo!
Parabens meu amigo escritor!
Um abração!

George J. Shwartz disse...

Muito bom mesmo!
É deste tipo de literatura que o mundo precisa!
Livros técnicos, romances, ficção, auto-ajuda, todos tem seu lugar, mas seus contos são algo muito especial!
Parabéns pelo talento e pela inspiração que teve ao recontar de forma brilhante a historia da Arca de Noé!

Theófilo Dias disse...

Meu querido José, estava com saudades de seus contos meu escritor favorito! Quase um mês sem ler seus contos! Mas valeu a pena esperar! A Arca de Noé é um espetáculo à parte dentre todos os contos que você publicou aqui! Esta historia recontada por você com sua genialidade, faz com que a gente reflita sobre todas as mensagens embutidas na historia original e que a maioria nem conhece. Os personagens atualizados, nos fazem rir, descontrair com tanta asneira, com tanta verdade estilizada pelo seu gênio de escritor. Valeu por mais este presente José! Nunca mais fique tanto tempo sem publicar!
Beijão cara! Adoro você e tudo que você escreve!

Eduardo Santos disse...

Cara que demais! A arca de Nóe virou conto de José Araújo e de um jeito bárbaro! Meu querido e amado amigo, viver ser ler seus contos para mim é quase impossível! Sabe que te amo desde o início não é? Portanto não me deixe sofrer com a sua ausência de postagens ok?

Ps. Adorei a inserção da frase (que demais!) seu texto!

Parabéns por mais esta obra divina!

Paulinha disse...

Sabe de uma coisa José?
Vir aqui e passar horas lendo o que você escreve é como um bálsamo para meu coração e corpo cansados!
Obrigada por compartilhar sua alma de anjo conosco querido!
Amo você meu escritor tão querido!

Erika Muniz disse...

Adorei José!
Rir faz bem e rir com vontade mais ainda! Quase tive dor de barriga quando no texto você escreveu que a Shirley espalhou pelo interfone a noticia do Cometa! É assim mesmo que acontece! As pessoas deturpam tudo! O que era uma meteóro virou cometa de uma hora para outra!
Você é mesmo um gênio!

Parabens ! Beijos!

Sergio Mattos Cardoso disse...

Perfeito!

A historia da Arca de Noé
recontada de maneira brilhante retratando a humanidade como se apresenta hoje!

Ninguem além de você seria tão sensivel a ponto de colocar em palavras aquilo no que a humanidade se transformou ao longo dos tempos!

A secratária que espalhou a noticia do "cometa" que na verdade era um meteóro é um retrato de como as pessoas deturpam os fatos.
O personagem Larápio é um dos mais encarnados dentre os homens, o Honesto, bem este a gente pode encarar como a personificação de muitos políticos ao redor do mundo.

Noé foi o único que se salvou no final, porque justo, era ele e não o Justo.

Essencialmente você nos passou com seu conto atualissimo as mesmas mensagens que estão na historia original da Arca de Noé.

Minha reverencias pelo seu talento e pela capacidade de nos fazer refletir até mesmo num conto cômico como este que na verdade nos faz chorar.

Continue a nos brindar com contos maravilhosos como este e certamente vai fazer muitos leitores como eu orgulhosos por acompanhar seu trabalho único e especial!

Abraços do amigo e fã,

Gloria Meirelles disse...

Meu querido José,após várias tentativas de comentar em seu Blog sem sucesso, finalmente vi que outros conseguiram e aqui estou meu amigo escritor tao querido!

Meus netos adoraram a história da Arca de Noé recontada por você.

Como sempre eu digo e repito que tenho muito orgulho em poder acompanhar seu trabalho como escritor e o faço com o prazer, porque a cada conto, aprendemos muito mais com eles, do que lendo livros imensos que muitas vezes só nos remetem à fantasia, à imaginação.

Eu e o Oswaldo somos e seremo sempre seus fãs e divulgaremos sempre seus contostao cheios de luz.

Adorei a forma comoo novo Noé desempenhou seu trabalho para salvar a espécie humana da extinção!

Tenho certeza de que o pessoal lá da fazenda vai vibrarcom esta sua ficçao/realidade!

Um beijo carinhoso de sua amiga, fã e leitora assídua,

Glória Meirelles

Jorge Pádua disse...

Como sempre a sua capacidade denos fazer refletir se mostrou à toda prova neste conto José!
Quero que saiba que imprimo tudo que você publica e espero um dia poder ter em mão um livro com uma coletanea de seus contos tão especiais!

Parabens pela pessoa que é e pelo escritor mágico que nos traz tantas coisas boas em seus textos gêniais!

Abração!